Cisco UPOE e a arte de poupar duas vezes a produção de energia da barragem Hoover [Infográfico]

Quando alguém fala em Power over Ethernet (PoE), o que lhe vem à cabeça? Se trabalhar na área das TI, pode pensar em fornecer energia a telefones IP e pontos de acesso wireless através da rede. No entanto, sabia que agora pode alimentar uma nova série de dispositivos através da rede com o Cisco UPOE, incluindo terminais de desktops virtuais, Turrets IP para transacções financeiras, switches compactos, sistemas de telepresença pessoais e outros?

Mas o que é que isto tem a ver com poupar energia?

Bem, o infográfico abaixo mostra o número total e tipos de dispositivos que podem ser alimentados através da rede com cada iteração do PoE. Se pensar no espaço de tempo 2011-2014 e todos os novos tipos de dispositivos que agora podem ser alimentados com o Cisco UPOE, e fazendo a gestão destes dispositivos com o Cisco EnergyWise, então poupa o equivalente a duas vezes a produção da barragem Hoover!

O Cisco UPOE está agora disponível nos Cisco Catalyst 4500E Series Switches. Espera-se que a capacidade dos Catalyst Compact Switches serem alimentados por UPOE esteja disponível nos próximos meses.

Tradução do post publicado por Pradeep Parmar no Cisco Borderless Networks Blog

As novas tecnologias Cisco Borderless Networks

Ontem, anunciámos o passo seguinte na arquitectura Cisco Borderless Networks. Neste lançamento há uma série de novos produtos e tecnologias. Este post pode servir como resumo desses novos lançamentos para que possa conhecer todos os novos componentes da Cisco e que impacto eles podem ter na sua rede. Dentro da infra-estrutura de rede, melhorámos significativamente os switches Catalyst, ISRs e ASRs. Novos sistemas e serviços inovadores suportam o desempenho de vídeo, a integridade da rede, o custo de propriedade, o ciclo de vida dos dispositivos e disponibilidade para processos empresariais. O Cisco EnergyWise continua a alargar a sua influência sobre os custos e consumos de energia. Novas tecnologias de acesso seguro formam a base da Cisco Borderless Security Architecture. O objectivo é oferecer um “Acesso Borderless” mas mantendo a rede segura ao mesmo tempo.

Catalyst 3750-X e 3560-X series: Estes switches de alto desempenho incluem 10G Ethernet, 48 portas PoE+ e módulos Smart Uplink. Os switches suportam serviços medianet potentes, permitindo uma experiência de vídeo de alta qualidade. Suportam também funcionalidades de ponta como as políticas de controlo de segurança Cisco TrustSec; software de gestão energética EnergyWise; encriptação link-level MACsec; e StackPower – um sistema de distribuição energética que optimiza o fornecimento de energia num stack de switches Catalyst.

Catalyst 2960-S series: Com um óptimo preço, esta série de switches 10G oferece-lhe o desempenho sólido e a gestão de que precisa. Numa excelente combinação preço/funcionalidades o 2960-S oferece novas funcionalidades como FlexStack para a família 2960, baseado nas normas PoE e PoE+ , e detecção de erros avançada.

ISR G2 3900E series: Estes routers trazem um aumento no desempenho 8 vezes maior que o ISR 3800 original. Adicionalmente, suportam até 350Mbps de largura de banda na WAN e os serviços medianet integrados permitem a expansão para sucursais e aplicações empresariais de vídeo.

ISR G2 887/888 series: Estes routers de acesso ricos em funcionalidades, combinam serviços avançados como segurança (IPS, firewall, conteúdo) e wireless LAN 802.11n com opções WAN de alto desempenho e flexíveis – ex: 3G, VDSL2.

ASR-1000 Release 6: Na sequência da distinção para o ASR no “Best of Tests” da Network World,  o recente ASR 1002-F da Cisco vai permitir aos clientes tirar o melhor partido da tecnologia ASR, a um baixo custo, dentro da sua infra-estrutura WAN. Adicionalmente, as novas funcionalidades como as melhorias no SIP trunking, VRF-aware IPSEC e firewall, Smart Call Home, e Performance Routing oferecem maior alcance, fiabilidade e retornos em toda a série ASR – e na sua WAN.

EnergyWise Orchestrator: Esta ferramenta fornece medição, informação e planeamento eficientes, que permitem às empresas ter um maior controlo sobre a utilização e custos energéticos. Adicionalmente, um cliente de software para PC e uma API aberta expandem o controlo Cisco EnergyWise a PCs em rede e dispositivos não-TI.

EnergyWise no ISR G2: Os switches Catalyst e o ISR suportam agora o EnergyWise, alargando a gestão energética de próxima geração a toda a rede – desde a sede às filiais.

Cisco AnyConnect: Este sistema de acesso seguro e flexível permite aos utilizadores aceder à rede sem interrupções através do dispositivo móvel da sua preferência, como portáteis e outros dispositivos de mão. Ao mesmo tempo, esta solução ajuda a sua empresa a gerir facilmente os riscos de segurança resultantes de trabalhar num mundo sem fronteiras.

Cisco TrustSec: O Cisco TrustSec integra segurança e dados na rede com controlo de acesso com base em políticas, identity-aware networking, e integridade e confidencialidade de dados. O Cisco TrustSec ajuda-o a proteger as redes borderless com confiança, consistência e eficiência.

Serviços para Borderless Networks: E com os novos Serviços Cisco para Borderless Networks, um contrato de serviço cobre as suas soluções de routing, switching, segurança e mobilidade da Cisco. Isto permite-lhe instalar e operar a sua Borderless Network como um sistema único.

Queremos saber a sua opinião e comentários sobre estes novos produtos e tecnologias. Como é que está a adaptar a sua rede a um mundo cada vez mais sem fronteiras?

Ultrapassar fronteiras e melhorar a rede

Há algumas semanas atrás a Cisco lançou o ISR G2 e apresentou o conceito de “Borderless Networks”. Borderless Networks resume uma arquitectura, ou melhor ainda – a implementação de uma rede que lhe permite trabalhar da forma que quiser, quando quiser, onde quiser, em qualquer dispositivo, para se ligar a qualquer recurso. Uma Borderless Branch, por exemplo, permite que escritórios e trabalhadores remotos ligarem-se à rede sem pensarem nisso, sabendo que todas as suas transacções são seguras e que podem esperar uma experiência de qualidade todas as vezes que se ligarem.

Nos próximos meses iremos desenvolver o anúncio do ISR G2 e continuar a demonstrar como a Cisco vai tornar esta arquitectura uma realidade. Entretanto, achei que seria bom voltar atrás e explicar primeiro como surgiu esta ideia de Borderless Networks.

Olhando para as principais tendências na tecnologia apenas há uns anos atrás, percebemos que uma verdadeira transformação estava a ocorrer no local de trabalho. Vídeo e smartphones, tradicionalmente considerados tecnologia de consumo, estão a ter um impacto nunca antes visto no negócio e na experiência de TI. Segundo a IDC, nos próximos três anos, vão existir 1.25 mil milhões de novos dispositivos móveis ligados à rede. De acordo com a pesquisa da Cisco Visual Networking Index em 2010 mais de 90% do tráfego de consumo será vídeo. Resumindo, o mundo está a tornar-se no nosso espaço de trabalho.

Enquanto o mundo fica mais pequeno, a complexidade do espaço de trabalho aumenta. Quanto maior for a procura à rede, mais “fronteiras” à colaboração efectiva e produtividade são criadas. Começamos por identificar três principais fronteiras que impediam as pessoas de se ligarem:

  • Fronteiras de localização. A força de trabalho está a crescer globalmente todos os dias, mas terá a tecnologia necessária instalada para dar suporte aos seus trabalhadores remotos?
  • Fronteiras de dispositivos. Cada vez mais dispositivos de consumo estão a entrar no local de trabalho e a permitir maior eficiência, mas estará a sua rede preparada para este aumento de procura?
  • Fronteiras de aplicações. Consegue garantir um desempenho consistente das aplicações independentemente da localização?

Muitos departamentos de TI tiveram que lidar com estes novos desafios de negócio, mas não receberam os recursos necessários para os resolverem. Também segundo a IDC, a utilização de servidores está a crescer 1.8 vezes, a quantidade de dados produzidos está a crescer 3.5 vezes e o número de transacções diário está a crescer 8.4 vezes. De forma a lidar com estas pressões nas TI, algo tinha de mudar. A Cisco percebeu que a rede tinha que evoluir.

Foi assim que a ideia de Borderless Network nasceu. Hoje, as soluções de rede da Cisco já começaram a ligar melhor clientes, parceiros e funcionários. Por exemplo, a Telepresença permite que trabalhadores remotos se liguem globalmente sem interrupções e em segurança. A arquitectura EnergyWise permite-lhe gerir o consumo de energia em qualquer dispositivo na rede e localizar ineficiências. O novo ISR G2 está melhor equipado para suportar colaboração rich media além fronteiras, acesso remoto a serviços virtuais on-demand, e a Medianet.

Vamos lançar mais soluções novas nos próximos meses para continuarmos a demonstrar como as Borderless Networks vão melhorar a produtividade e eficiência empresarial. Por enquanto, qual é a sua opinião? Como é que um mundo sem fronteiras poderia ajudar o seu espaço de trabalho?

Tradução do post publicado por Jennifer McAdams, Cisco Innovation Blog